domingo, 8 de junho de 2014

O dogma anticapitalista


2 comentários:

Lura do Grilo disse...

É isso mesmo! Uma espécie de sentimento de culpa por alguém colher o resultado do seu trabalho feito quase sempre por quem não trabalha para o mesmo resultado.

taawaciclos disse...

Eu gosto particularmente das crianças de África!

Graças ao seu suado trabalho, remunerado ou não (tanto faz), para fornecerem matérias primas às Corporações nas quais os cidadãos dos países (auto-designados) de desenvolvidos vão eles próprios passando o tempo, e se vão prostituindo de forma mais elegante em troca de uma determinada quantidade de massa monetária ao final da semana ou do mês (depende do país desenvolvido) para poderem adquirem bens/serviços de outras Corporações que se abastecem também de matérias primas, e às vezes dos próprios animais africanos. Evidente que o que resta para os animais de África é são as sobras! E se porventura quiserem beber água acondicionada em garrafa de sub-produto do petróleo, só têm é que se esforçar mais um bocadinho!

Até são usados como propaganda dogmática pró-capitalista, pelo que aos animais de África, pouco mais resta que a actual realidade! E merecida...