sábado, 14 de janeiro de 2017

O Ocidente Oriental



Quando Alexandre I a mandou fazer, quis a Catedral de São Isaque, em São Petersburgo, como coroa do mundo ortodoxo e celebração da vitória russa sobre Napoleão. Ordenou que a desenhassem contraditória, isto é, italiana e ortodoxa; o edifício é latino na forma e grego no espírito, simultaneamente do Leste e do Oeste e, por isso, síntese da Europa. Não há dúvida de que Alexandre, que anos antes marchara sobre Berlim e Paris, a queria exactamente assim, como confirmação de que era verdadeiramente europeia a nova Rússia.
O comunismo recentrou a Rússia em Moscovo, afastando-a num golpe da sua vontade de ser europeia e da fé ortodoxa da população. São Petersburgo tornou-se Leninegrado e São Isaque acabaria saqueada e nacionalizada pelo Estado soviético. Esteve encerrada até 1931, quando Estaline decidiu instalar lá um Museu do Ateísmo e a despojou de todos os símbolos religiosos. O dito Museu, insulto supremo para um edifício pensado e desenhado como nova Hagia Sofia, resistiu ao cerco alemão, às transições políticas do pós-guerra e só ao cair o bolchevismo, em 1991, fechou portas. Agora, seguindo as instruções do presidente Putin, o governo regional de São Petersburgo decidiu devolver a catedral à Igreja Ortodoxa Russa. Um acto bonito e bem demonstrativo de como aquele Ocidente oriental tem hoje tudo a ensinar-nos.

RPB

1 comentário:

CENSURADO AGAIN disse...

O LESTE TEM MUITA INFLUENCIA DA ASIA POIS SÃO VIZINHOS DELES ABSORVERAM LEVAS ASIATICAS HOSTIS SÃO MAIS FRIOS COMO O LESTE